QUEM SOMOS

Criado em 2004 pelo Observatório de Favelas e pelo fotógrafo documentarista João Roberto Ripper, o programa Imagens do Povo alia a técnica fotográfica às questões sociais, registrando o cotidiano das favelas através de uma percepção crítica que leva em conta o respeito aos direitos humanos e à cultura local.

Como um centro de documentação, formação, atuação em rede e inserção de fotógrafos populares no mercado de trabalho, o Imagens do Povo desenvolve ações nas esferas da educação, comunicação e arte com objetivo de democratizar o acesso à linguagem fotográfica, apresentando a fotografia como técnica de expressão e visão autoral da sociedade.

O foco crítico consiste em formar e promover documentaristas fotográficos como potenciais multiplicadores do saber adquirido, capazes de desenvolver trabalhos autorais de registro de espaços populares que valorizam as histórias e as práticas culturais de suas comunidades. Neste processo, fotógrafos e comunidades resgatam e fortalecem seus vínculos identitários a partir do uso da linguagem fotográfica, que se torna instrumento de acesso e mapeamento de diferentes expressões culturais e sociais dos territórios onde residem, ampliando as possibilidades de difusão de novas imagens destes locais.

Os principais eixos de atuação desenvolvidos pelo Imagens do Povo são:
– Documentação e pesquisa
– Formação
– Difusão
– Articulação em rede de fotografia popular

Algumas ações desenvolvidas ao longo dos anos são: a Escola de Fotógrafos Populares; a Agência Escola; o Banco de Imagens; as Oficinas de Fotografia Artesanal; o Curso de Formação em Educadores da Fotografia; o Curso de Capacitação: Fotografia, Arte e Mercado; o Curso Lugar das Imagens: Formação em Fotografia a partir da Raça, Gênero e Sexualidade, as Oficinas de Fotografia para Pessoas com Síndrome de Down, a curadoria da Galeria 535, as exposições “Domingos de Sol” e “Entre Maré e Alemão” e os ensaios em rede para a Revista Periferias.

Para saber mais acesse o Portfólio do Imagens do Povo.

FOTÓGRAFOS