O bloco das crianças do Jacarezinho

14 de março de 2014

admin

Destaques

0

© Léo Lima / Imagens do Povo

© Léo Lima / Imagens do Povo

 

O Histórias da Folia está de volta! A série de postagens na qual os fotógrafos IP compartilham também através de palavras um pouco mais dos detalhes do carnaval, destacando os personagens e a relação destes com a folia e seus lugares, recomeça neste ano com a história do bloco espontâneo de crianças do Jacarezinho, no Rio. Léo Lima descreve, a partir do encontro com os foliões-mirins, seus vizinhos, sua percepção e lembranças sobre o carnaval na favela.

Folia espontânea

Por Léo Lima

Eu gosto da ressaca do carnaval. A quarta-feira de cinzas, a “fênix carnavalesca”, sempre me apresenta seu rosto sem maquiagem, bêbada, vazia, mas jamais em cinzas. E é nessa onda que, enquanto descia as escadas de casa, ouvi um barulho bem longe… Barulho que foi ficando cada vez mais alto, cada vez mais alto. Até que perguntei pra eu mesmo: “são as crianças brincando o carnaval?”. Desci, corri, esqueci até de pegar a câmera. Incrível como aquele som promovido pelas crianças na rua me fez relembrar o meu carnaval de infância. Um carnaval que era feito por nós, gostoso, barulhento, intenso. O carnaval embebido dos antigos blocos da favela, da identificação e imitação deles. O carnaval do cata-cata, dos pedaços de madeira da rua, das fantasias feitas com roupas que não usávamos mais. O carnaval dos filhos dos pastores em subversão à igreja. O carnaval das panelas e bacias velhas de nossas mães. O meu carnaval, revivido pelas crianças do “Elefante não tem cú” sempre se configurou como o carnaval do poder xingar e ninguém reclamar, do fazer barulho e não incomodar, das espuminhas e confetes no ar.

Esses moleques incendiaram minha memória e eu, ah… Eu fiquei ali, olhando, fui em casa, peguei a câmera, corri – ainda estavam lá, suados, xingando, sorrindo -, comecei com alguns frames em vídeo, fotografei, gargalhei com a musiquinha e só tive a coragem de ir embora quando me pediram:

“Léo, fotografa a gente ano que vem de novo?”

 

[nggallery id=113]

 

 

 

Post by admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *