Inscrições abertas!

4 de junho de 2013

admin

Destaques

0

Foto: Andrea Fernandes

Retrato da aula Shirley Medeiros produzido pela aluna Andrea Fernandes através da técnica de lightpainting.

 

A comunicação em todas as suas formas é essencial para que qualquer pessoa possa exercer sua cidadania. A democratização do acesso às diversas formas de comunicação é um dos pilares formadores do Programa Imagens do Povo, realizado pelo Observatório de Favelas. O mais recente projeto do IP, as Oficinas de Fotografia para Pessoas com Síndrome de Down, amplia o público atendido pelo programa, apresentando a linguagem fotográfica a jovens e adultos com síndrome de Down.  As oficinas são fruto de uma parceria do Observatório de Favelas com o Movimento Down e o Ateliê Espaço Terapêutico e patrocínio dos Correios, e visam oferecer aos alunos e alunas os primeiros contatos com a fotografia, despertando o interesse pela arte e estimulando o desenvolvimento desses jovens e adultos.

Além de contribuir para que essas pessoas possam exercer sua cidadania de maneira plena e autônoma, o projeto apresenta caminhos para a sua inserção no mercado de trabalho. Com duração de dez meses, as oficinas são pautadas por exercícios práticos e pela elaboração experimental de imagens, aliando a técnica fotográfica ao debate das questões sociais relacionadas à pessoa com deficiência intelectual e à pessoa com síndrome de Down.

As oficinas são realizadas no Observatório de Favelas do Rio de Janeiro, na Maré. A coordenação é do renomado fotodocumentarista João Roberto Ripper, criador do Imagens do Povo, as aulas são ministradas por Elisângela Leite e AF Rodrigues, fotógrafos do programa, formados pela Escola de Fotógrafos Populares e todas as aulas têm acompanhamento de terapeutas especializados do Ateliê Espaço Terapêutico.

A primeiras aulas das oficinas iniciaram-se em fevereiro deste ano e já estão abertas as inscrições para mais uma turma do projeto. Os interessados devem entrar em contato com Alexandre Silva, através do email alexandre@observatoriodefavelas.org.br ou do telefone (21) 3888-3220, ramal 213. As aulas iniciam-se na terceira semana de junho e as entrevistas do processo seletivo, agendadas através do contato prévio, acontecerão no dia 13/06, no Observatório de Favelas.

 

João Roberto Ripper, coordenador do curso, orientando aluna durante a aula. (Foto: Elisângela Leite)

 

Sobre o Imagens do Povo

Realizado pelo Observatório de Favelas, o Imagens do Povo é um centro de documentação, pesquisa, formação e inserção de fotógrafos populares no mercado de trabalho. Criado em 2004, o programa alia a técnica fotográfica às questões sociais, registrando o cotidiano das favelas através de uma percepção crítica, que leve em conta o respeito aos direitos humanos e à cultura local. Os principais projetos desenvolvidos pelo Imagens do Povo são: a Escola de Fotógrafos Populares; a Agência Escola; o Banco de Imagens; as Oficinas de Fotografia Artesanal (pinhole); o Curso de Formação em Educadores da Fotografia; o Curso de Capacitação: Fotografia, Arte e Mercado; as Oficinas de Fotografia para Pessoas com Síndrome de Down e a Galeria 535. Estes projetos estão divididos em dois eixos centrais do Programa: Formação e Difusão.

 

Sobre o Observatório de Favelas

O Observatório de Favelas é uma organização social de pesquisa, consultoria e ação pública dedicada à produção do conhecimento e de proposições políticas sobre as favelas e fenômenos urbanos. Buscamos afirmar uma agenda de Direitos à Cidade, fundamentada na ressignificação das favelas, também no âmbito das políticas públicas.

Criado em 2001, o Observatório é desde 2003 uma organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP). Com  sede na Maré, no Rio de Janeiro, sua atuação é nacional. Foi fundado por pesquisadores e profissionais oriundos de espaços populares, sendo composto atualmente por trabalhadores de diferentes espaços da cidade.

Temos como missão a elaboração de conceitos, metodologias, projetos, programas e práticas que contribuam na formulação e avaliação de políticas públicas voltadas para a superação das desigualdades sociais. Para serem efetivas, tais políticas têm de se pautar pela expansão dos direitos, por uma cidadania plena e pela garantia dos direitos nos espaços populares.

 

Sobre o Movimento Down

O Movimento Down surgiu para congregar informações e esforços dirigidos às pessoas com síndrome de Down e deficiência intelectual. Nosso objetivo é desenvolver e impulsionar ações em prol da inclusão destas pessoas em todos os espaços da sociedade. Entre as iniciativas desenvolvidas pelo Movimento Down, estão um censo pioneiro sobre síndrome de Down no complexo de favelas da Maré, no Rio de Janeiro, e o projeto TO Brincando, que prevê a construção de uma brinquedoteca e o desenvolvimento de publicações de apoio sobre o uso de brinquedos para o estímulo de crianças e adolescentes com síndrome de Down. Além disso, a organização também desenvolve conteúdos com linguagem simples para pessoas com síndrome de Down, tendo desenvolvido a versão acessível das Diretrizes de Atenção para Pessoas com Síndrome de Down do Ministério da Saúde.

 

Sobre o Ateliê Espaço Terapêutico

O Ateliê Espaço Terapêutico é um lugar de tratamento formado por profissionais focados na realização de um trabalho clínico diferenciado do modelo clássico de consultório. A equipe se constituiu a partir de um percurso realizado na área de saúde e na interface saúde/educação com crianças, adolescentes e adultos que apontavam para a necessidade de um acolhimento especial.

 

Post by admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *