BlogIP

  • Fonte normal
  • Aumentar fonte
  • Adicionar a favoritos
  • Imprimir
  • Enviar para amigo

O direito à moradia

Foto: Bruno Souza

Foto: Bruno Souza

Comunicação em favor do direito à moradia

Durante os meses de abril e julho de 2014, jovens alunos e alunas do Projeto Inclusão Digital para Jovens Protagonistas (Núcleo Jovem), promovido pelo Banco da Providência em parceria com o Instituto PHI, documentaram temas relacionados às remoções sofridas por diversas famílias por conta da realização dos megaeventos na cidade do Rio de Janeiro. Sob supervisão do professor Fábio Caffé, os jovens acompanharam da perto o cotidiano dos moradores da Vila Autódromo e do Movimento Ocupa Telerj. As imagens podem ser conferidas através da exposição “Comunicação em favor do direito à Moradia”, em cartaz a partir do dia 6/3, na Galeria 535, no Observatório de Favelas.

Sobre o projeto

 O Projeto Inclusão Digital para Jovens Protagonistas (Núcleo Jovem) capacita profissionalmente jovens de diversas comunidades no Rio de Janeiro em Tecnologias da Comunicação. Para além da formação específica (Comunicação e Blog, Edição de Vídeo e Fotografia) o projeto desenvolveu, nos jovens, habilidades para utilizar a comunicação em favor do bem comum, através da elaboração de blogs, vídeos e fotografias. Esta turma escolheu como trabalho final o tema: “Comunicação em favor do Direito à Moradia”, a partir de discussões sobre Cidadania, Ética e Direitos Humanos.

Telerj Resiste!

O “Movimento Ocupa Telerj” é fruto de um problema social antigo da cidade do Rio de Janeiro: o enorme Déficit Habitacional. O problema se agravou ainda mais com a chegada dos grandes eventos à cidade: Copa do Mundo e Olimpíadas. Estes eventos geraram uma supervalorização dos imóveis. Os preços subiram de tal forma que os moradores da cidade do Rio de Janeiro, especialmente os mais pobres, se encontram desafiados ao malabarismo de sobreviver.

O “Movimento Ocupa Telerj” se deu a partir da ocupação por famílias de várias comunidades diferentes, grande parte delas com crianças, do antigo prédio da Telerj no Engenho Novo, hoje pertencente à Oi telefônica, que se encontrava abandonado há quinze anos.

O caso ganhou repercussão internacional semanas depois, no dia 11 de abril de 2014, quando cerca de 80 militares e 1.650 policiais deram início à remoção dessas famílias do prédio, com intimidação e violência durante o processo. Muitos tiveram que abandonar o local sem documentos, houve feridos e as imagens dos confrontos rodaram o mundo.

A partir do diálogo com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, as famílias aceitaram ser encaminhadas, em caráter provisório, para o ginásio da Paróquia Nossa Senhora do Loreto – Ilha do Governador. O grupo reivindica que o governo municipal providencie uma casa para cada família, mas a Prefeitura diz que a situação não é tão simples e que há outras famílias que já aguardam moradia. Mas o grupo que atualmente vive na Paróquia Nossa Senhora do Loreto é apenas uma pequena amostra de um universo muito maior.

Vila Autódromo: Plano Popular versus Especulação Imobiliária

A Vila Autódromo é uma comunidade localizada ao lado do Autódromo de Jacarepaguá, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, que existe há pelo menos 40 anos. A permanência no local foi concedida pelo então governador do estado Leonel Brizola, que deu aos moradores um título de posse provisório do terreno por 30 anos, e posteriormente, foi retificado para 99 anos. Porém, desde 1993 a prefeitura do Rio de Janeiro move ação para a remoção dessas famílias, mas apenas em 2012, a Justiça autorizou em primeira instância uma retirada parcial da comunidade alegando motivos ambientais.

Em setembro de 2012, os moradores da Vila Autódromo entregaram ao prefeito Eduardo Paes Projeto “Plano Popular da Vila Autódromo”, onde argumentam não haver incompatibilidade entre a construção do futuro Parque Olímpico do Rio, a existência da comunidade, e a preservação ambiental. O plano foi elaborado por moradores em parceria com universidades Federais do Rio.

O projeto previa uma área de recuperação ambiental na margem da lagoa, inclusão da comunidade no programa Saúde da Família e a construção de uma creche e de uma escola municipal e novas áreas de esporte e lazer. A recuperação da área é bem mais barata que a criação do conjunto habitacional: enquanto a proposta da comunidade está orçada em R$ 13 milhões, a da Prefeitura custa R$ 38 milhões.

Apesar do custo mais baixo, o projeto não foi aceito pela prefeitura e as remoções começaram a se dar de forma desenfreada. Muitas famílias resistem por seus vínculos com o local e pelas histórias que ali construíram. Outras não resistiram às ofertas cada vez mais indecentes da prefeitura. Moradores locais contam que famílias que tinham apenas uma casa subdividida na Vila Autódromo negociaram até oito apartamentos no condomínio Parque Carioca, onde a prefeitura instalou quem optou por desocupar o espaço. Outra família recebeu indenização no valor de R$1.500.000,00.

O fato é que os moradores vêm convivendo todos os dias com ameaças reais do poder público e com a pressão psicológica de ver as casas de seus antigos vizinhos demolidas, tratores da prefeitura rondando o espaço 24 horas por dia, a constante falta de água e luz, ausência de sinal de Celular, TV a cabo e internet, situações pelas quais não passavam.

E se cada R$1.500.000,00 de indenização fossem utilizados em benefício da comunidade? E se um dos oito apartamentos negociados com o morador da Vila Autódromo pudesse abrigar uma família do Movimento “Ocupa Telerj”?

Serviço

Inauguração: 6/3/2015

Visitação: de 9/3 a 8/05/2015, de 9 às 18h

Galeria 535 – Observatório de Favelas

Rua Teixeira Ribeiro, 535, Parque Maré, Maré, RJ.

Por: admin, em 02/03/2015


Retorno à Mama África

Foto: Bruno Morais / Imagens do Povo

Foto: Bruno Morais / Imagens do Povo

O livro NÓS, recentemente lançado, já está chegando às mãos dos fotografados que participam da publicação. Seguindo os ensinamentos do fotógrafo JR Ripper, idealizador do Imagens do Povo, o programa mantém a premissa de realizar e promover uma fotografia compartilhada, na qual fotógrafo e fotografado estão no mesmo patamar de importância e sem qualquer um destes a imagem não seria plena. O afeto e a intimidade permitida pelas partes é que proporcionam a fotografia humanista que acreditamos. Nesse sentido, retornar com a publicação para estas pessoas – que tão gentilmente se dispuseram a serem retratadas, compartilhando suas intimidades, seus mundos – é uma tarefa e um prazer que cada  fotógrafo IP está engajado a realizar.

Nesta quarta-feira, 21, Bruno Morais voltou à Ocupação Sócio-Cultural Mama África, em São Domingos, Niterói, para retornar as imagens às famílias retratadas por ele e que estão nas páginas do livro NÓS, do Imagens do Povo. Desde 2011, Bruno vem acompanhando e registrando o cotidiano dos moradores da ocupação localizada nos números 48 e 50 da Rua Passos da Pátria. O bairro de São Domingos abriga diversas ocupações urbanas que vêm lutando por seu direito a moradia. A Ocupação Mama África é uma delas e vem se organizando para garantir sua permanência no local.  São aproximadamente 36 famílias morando na ocupaão. Em sua maioria mulheres, das quais, a maior parte cresceu em um orfanato.

Abaixo algumas imagens desse dia de reencontro e manutenção do afeto criado por Bruno e as famílias da Mama África.

Olímpia Pacheco Pereira, moradora da ocupação Mama África posa com o exemplar do livro NÓS. © Bruno Morais_Imagens do Povo

Olímpia Pacheco Pereira, moradora da ocupação Mama África posa com o exemplar do livro NÓS. © Bruno Morais_Imagens do Povo

© Bruno Morais_Imagens do Povo

Maria Simone Cordeiro e Fernanda Carlinda mostram as imagens do livro NÓS nas quais estão retratadas. © Bruno Morais_Imagens do Povo

 

© Bruno Morais_Imagens do Povo

Ana Paula de Araújo e Nádia do Carmo com seus exemplares do livro NÓS. © Bruno Morais_Imagens do Povo

 

Por: admin, em 23/01/2015


Viva Sebastião!

Foto: Fábio Caffé

Foto: Fábio Caffé

 

O dia 20 de janeiro amanhece com queima de fogos na alvorada. É dia de homenagear o padroeiro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. A festa continua nas ruas, folias de reis, terreiros e igrejas espalhadas por toda a cidade ao som de atabaques, bandas de música e baterias de Escola de Samba.
Confiram algumas imagens realizadas pelo fotógrafo do IP, Fábio Caffé, que registrou a devoção ao santo numa missa especial e um almoço na Capela de São Sebastião, no Salgueiro, seguido de um cortejo pelas ruas do morro e adjacências. As imagens compõem o projeto coletivo Folia de Imagens, formado por fotógrafos IP, e que tem o intuito de registar as mais diversas formas de festividades da cultura popular no Rio e no Brasil inteiro.

 

 

.

 

Por: admin, em 22/01/2015


Rainha do Mar

Foto: Rosilene Miliotti / Imagens do Povo

Foto: Rosilene Miliotti / Imagens do Povo

Como todo ano, fotógrafos IP registram as festividades em homenagem à Iemanjá pelo Rio de Janeiro. Neste ano, Rosilene Miliotti, além de compartilhar suas imagens, conta um pouco do que viu acompanhando uma carreata para Rainha do Mar em Madureira, Zona Norte do Rio.

Carreata de Iemanjá: fé e intolerância religiosa

Por Rosilene Miliotti

No dia 29 de dezembro, vários fotógrafos acompanharam a carreata de Iemanjá promovida pelo Mercadão de Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, alguns de cima de um carro de som. Não deu para fazer muitas fotos no percurso, por questões de segurança. Mas, apesar do desconforto, foi muito bom poder acompanhar a reação das pessoas. Muitas acenavam, mandavam beijos, motoristas buzinavam. Um homem tirou a guia, que estava escondida no bolso e a mostrou com orgulho e bateu no peito dizendo “me proteja minha mãe”. Foi emocionante!

Claro, algumas pessoas não demonstravam reação nenhuma. Normal para quem não acredita. Até aí tudo bem. Mas no caminho tinha um homem moreno, alto e vestindo uma roupa que parecia sufocar. Ele tinha uma bíblia em uma mão e uma criança na outra. Com ele, mais duas mulheres com vestidos de uma cor só. Ele gritava: “Tá repreendido! Vão todos queimar no fogo do inferno. Tomara que esse carro vire e todos morram…”. Enfim, palavras de maldição que não valem a pena ser escritas aqui.

A mãe de santo que estavam com o microfone desejou “Muita paz, saúde e alegria para o senhor. E lembre-se, para que a sua religião seja respeitada é preciso respeitar as outras religiões”. E a falta de respeito desse único senhor, não estragou a festa. Pude perceber também que tinha mais gente acenando, sorrindo, levantando as mãos pelo caminho do que pessoas que viravam o rosto ou que colocavam pra fora toda falta de respeito e intolerância com o diferente.

.

Por: admin, em 06/01/2015


NÓS

convite_nós_ok

Imagens do Povo – 10 anos

Há dez anos nascia na Maré, sob realização do Observatório de Favelas, o Programa Imagens do Povo. A partir da iniciativa do João Roberto Ripper, o projeto surgiu através da convergência dos desejos do fotodocumentarista e das diretrizes da instituição de formar fotógrafos moradores de espaços populares, aliando a técnica fotográfica à promoção dos direitos humanos e à democratização da comunicação. Deste encontro, estabeleceu-se o objetivo central do programa: criar novas representações sobre os espaços populares contribuindo para desconstruir os estigmas relacionados a estes territórios.

Nos idos anos de 2004, quando o programa foi criado, os alunos da Escola de Fotógrafos Populares ainda produziam suas imagens de forma analógica. As redes sociais ainda não estavam consolidadas como principal forma de interação e promoção virtual. A circulação de imagens na web também não era intensa como nos dias atuais. Neste contexto, o desafio de promover a visibilidade de novas representações sobre espaços populares se fazia urgente na estratégia de combater os estereótipos da mídia hegemônica.

Em uma década muita coisa mudou no mundo. A fotografia acompanhou a velocidade destas mudanças – especialmente por conta da evolução tecnológica. Novos hábitos foram incorporados às culturas. Fotografar tornou-se uma prática amplamente democratizada e, assim, o modo como nos relacionamos com as imagens foi afetado radicalmente. Mesmo com toda a mudança em relação ao fazer fotográfico durante esse período, a disputa pelo imaginário persiste com novas ferramentas à disposição. O Imagens do Povo continua lutando pela garantia do direito à diferença e pela construção da igualdade em termos de dignidade humana.

Durante estes dez anos, o programa incidiu em disputas cruciais – de imaginário, de conceitos, de símbolos – sobre as favelas, promovendo uma nova forma de olhar a cidade e os seus sujeitos. Mais de duzentos fotógrafos formaram-se no programa, dentre os quais, setenta compõem nossa Agência Escola atualmente. As imagens produzidas pelos fotógrafos populares circulam em páginas, publicações e exposições em diversos lugares do Brasil e do mundo.

Para comemorar os dez anos de existência do programa, o Imagens do Povo preparou uma programação especial de aniversário, que inclui, mostras, bate-papos, projeções e o primeiro Festival de Fotografia Popular, previsto para março de 2015. Como abertura dos trabalhos, será lançado o livro NÓS, junto a uma exposição que apresenta um recorte das imagens que compõem a publicação. A abertura da mostra e o lançamento do livro acontecem no dia 14 de janeiro, no Galpão BELA Maré.

Em breve mais informações sobre a programação do lançamento do livro e exposição NÓS.

Serviço

NÓS

Abertura: 14 de janeiro de 2014, 18h

Visitação até 28/03/2015

Terça a sábado – das 11hs às 17hs.

Entrada Gratuita

Local: Galpão Bela Maré (Rua Bittencourt Sampaio, 169, Maré – Entre as passarelas 9 e 10 da Av. Brasil)

Informações: (21) 3105-1148

www.imagensdopovo.org.br

www.observatoriodefavelas.org.br

facebook.com/programaimagensdopovo

facebook.com/observatoriodefavelas

Por: admin, em 05/01/2015


Viva 2015!

FELIZ2015

 

O Imagens do Povo deseja a todos um 2015 cheio de alegrias! Que neste próximo ano possamos caminhar juntos, respeitando as diferenças, valorizando a convivência e a diversidade, ajudando a construir um mundo mais justo e fraterno.

2015 será um ano de muitas celebrações por conta das comemorações de 10 anos do IP. Acompanhe nossas notícias aqui pelo nosso blog!

 

Por: admin, em 19/12/2014


IP no MAM Rio

convite_MAM

Nesta quarta (17), às 19h, o MAM inaugura a exposição “Imagens da escuridão e da resistência”. Com a curadoria de Luiz Camillo Osorio a mostra é uma forma do MAM Rio recusar, nestes 50 anos do golpe, qualquer acomodação diante da memória da ditadura. O Imagens do Povo participa da exposição, junto a outros grandes artistas, com 23 fotografias.

 

IMAGENS DA ESCURIDÃO E DA RESISTÊNCIA

17 de dezembro de 2014, das 19h às 22h

curadoria Luiz Camillo Osorio

exposição de 18 de dezembro de 2014 a 22 de fevereiro de 2015

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Av Infante Dom Henrique 85

Parque do Flamengo

20021-140 Rio de Janeiro RJ

Por: admin, em 17/12/2014


Toda Fé

Convite TODA FE 535 revisto

Nesta sexta-feira (5), às 18h, será inaugurada na Galeria 535, no Observatório de Favelas, a mostra Toda Fé. Abaixo mais informações sobre a exposição.

Toda Fé

Como parte das comemorações de uma década de existência do Programa Imagens do Povo, apresentamos a mostra Toda Fé. Produzida exclusivamente com imagens dos fotógrafos populares, a exposição exibe um recorte temático do nosso acervo sobre a diversidade religiosa em favelas, subúrbios e outros espaços populares.

As imagens trazem a força própria do protagonismo das manifestações de fé nesses lugares, além da beleza que a convivência das diversas expressões religiosas pode propiciar. Reforçamos com essa mostra o horizonte que norteia as ações do programa: celebrar a diversidade e respeito às diferenças, seja ela de qual natureza for.

Ao promover novos olhares sobre as múltiplas expressões da religiosidade de um povo, buscamos descontruir os estigmas relacionados a determinados cultos e contribuir para a liberdade de consciência e de crença. Acreditamos na coexistência e respeito a todas as manifestações religiosas.

Serviço

Exposição Toda Fé

Inauguração: 5/12/2014, às 18h

Visitação até 27/02/2015, de 9 às 18h

Galeria 535 – Observatório de Favelas

Rua Teixeira Ribeiro, 535, Parque Maré, Maré, RJ.

Entrada franca.

Por: admin, em 01/12/2014


IP no Uruguai

Foto: Ratão Diniz

Foto: Ratão Diniz

No próximo dia 4 de dezembro será inaugurada em Montevidéu, na Fotogaleria Del Prado, a mostra Imagens do Povo. Realizada pela CdF Fotogaleria (Centro de Fotografía de Montevideo) e produzida com imagens do acervo do programa, a exposição conta com a participação de 33 fotógrafos populares participantes da Agência Escola. A mostra faz parte da programação oficial do Festival Jornadas: 10 – Fotografia e Educação.

Exposição Imagens do Povo

Através da fotografia, o Imagens do Povo tem, nos últimos 10 anos, construído uma nova forma de olhar a cidade e os sujeitos. A expectativa é estimular a mudança de paradigmas do imaginário coletivo em relação às favelas, ao aumentar o leque de informações que as pessoas, em geral, têm em relação aos espaços populares. Acreditamos que força das imagens, aliada à sua beleza artística, é capaz de sensibilizar e ajudar na construção de uma consciência política.

O foco principal desta exposição é a cobertura endógena de temas relacionados ao cotidiano em regiões de periferia. Ao dar seu testemunho sobre a cidade, os fotógrafos participantes do Imagens do Povo, mostram um olhar engajado, numa busca constante por uma cidade mais justa e fraterna.  As imagens trazem uma carga de intimidade e respeito com o fotografado e revelam uma descoberta: a de reconhecer-se no outroao discutir a representação de si e desses espaços.

A ideia édisputar o imaginário das pessoas, produzindo representações de favelas que sejam capazes de romper com o estereótipo da violência e da criminalidade.Novas imagens do espaço urbano têm um papel central na reconstrução de significadosda cidade.Além disso, pensar a fotografia como ferramenta de mudanças, e como ela pode ser utilizada em processos educacionais e de lutas por direitos.

Por: admin, em 01/12/2014


5000 likes

© Elisângela Leite / Imagens do Povo

© Elisângela Leite / Imagens do Povo

 

No ano em que o Imagens do Povo está comemorando uma década de criação, nossa página do facebook acaba de alcança 5000 curtidores. Não faltam motivos para comemorarmos! Além desse grande número de amigos acompanhando nossas notícias através da rede social, o IP prepara para os próximos meses uma programação de aniversário que inclui exposições, livro, festas, etc. Logo logo divulgaremos as primeiras datas dos eventos Imagens do Povo – 10 anos. Continuem acompanhando, curtindo, divulgando o IP!

Por: admin, em 18/11/2014


Preencha os campos abaixo para enviar esta página

:
:
:
: